Posted by : Monik Ornellas


A pior balela que aprendemos a acreditar é sobre os fatos. Se guiar por fatos, é um modo “default” (padrão) de ver a vida. Um fato é um fato até que alguém o conteste ou não o aceite.

Você está em relação aos fatos, ou, os fatos estão em relação à você?

Tenho aprendido muito sobre como os fatos nos levam para o fundo do poço.

Um fato é a comprovação da crença que escolhemos acreditar.

Pense comigo: Somos criadores da nossa realidade; a criamos por meio dos pensamentos (crenças) e da forma que nos sentimentos em relação a tais pensamentos; os fatos são a comprovação dessas crenças.

Logo, todo o universo corrobora para que eu obtenha 100% de sucesso em acreditar naquilo que decidi acreditar como real, mesmo que isso seja muito louco. Todas as pessoas, coisas e situações irão caminhar para confirmar minha crença sobre..... qualquer coisa. Se acredito nas dificuldades, na violência e num mundo caindo aos pedaços, meus olhos terão uma atração natural para todos os fatos que comprovam minha crença, se escolho acreditar num mundo de pessoas boas, conscientes e felizes, todas as situações irão convergir para que eu possa afirmar essa verdade. Nossos olhos veem aquilo que eles querem ver, literalmente.

Se eles são a comprovação do que acredito, quando os Fatos Mentem?

Se, eu resolver mudar de crença, os fatos mudarão. Porém, essa mudança é uma loucura na cabeça da gente! Há uma diferença enlouquecida entre o que vemos como “real” e o que desejamos tornar real, e, muitas vezes o tempo e a criação de uma nova realidade/crença, contrasta com os fatos que continuamos a colher das crenças “antigas” que ainda estão penduradas em nosso campo (mental, emocional, energético). É nessa transição que eles mentem, para nós.

Onde está sua atenção?

A vida toda você teve baixa estima. Mas agora resolveu que será diferente, não só criará novos pensamentos sobre você, como fará ações que reforcem tais sentimentos. Porém, no meio dessa dinâmica, ainda lida com pessoas que te diminuem, falta de grana, cobranças externas e todo tipo de fato que comprova o quanto você não é merecedor. O fato é: Você ainda está colhendo o plantio de antes. Mas, tais fatos não são reais, são somente a reverberação de algo que você acreditava e embora tenha escolhido algo diferente, é preciso construir esse novo estado mental, emocional e energético dentro de si, só assim os fatos mudam.

Tudo que fazemos, pensamos e sentimos alimenta e reforça nossa realidade. Sendo assim, não basta só escolher uma nova forma de viver, é preciso deixar tudo para trás. Mas, deixar o quê? Todos os pensamentos, emoções e ações que reforçavam e alimentavam o estado de ser anterior. 

É interessante, - e observo isso em mim também -, que muitas vezes nossa ânsia de mudar é tão grande, que entramos num estado de negação dos fatos, e negar é resistir, e resistir é reforçar esses fatos e suas fontes de alimentação. Resumo: ficamos correndo atrás do próprio rabo. O que é bem diferente de liberar.

Tem algumas pessoas que fazem essa transição num espaço-tempo “plim”. Se desprendem fácil e automaticamente das formas pensamento e todos os sentimentos ligados à elas e instantaneamente o universo lhe retorna com feedbacks das novas crenças, criando novos fatos e comprovações para aquilo que escolhemos acreditar.

Acho isso lindo, dinâmico e sempre fico encantada quando acontece comigo. É um estado, “pá!!!”, a coisa toda muda dentro da gente e a forma de ver e sentir se transforma totalmente.

Os fatos mudam, quando mudamos, no espaço-tempo de um “enter”.

Então, observe os fatos à sua volta, escolha quais estão de acordo com a vida que escolheu, os que não estiverem, descarte-os, sem pena e sem dó! Não importa quantas comprovações científicas tenham, ou quanto as estatísticas comprovem (estatística é um modo burro de dizer que o ser humano não tem escolha pessoal e que muitos de nós ainda são a extensão melhorada do macaco).

Os fatos não são de forma alguma o “certo” ou a “verdade”, eles valem mais como a voz do inconsciente coletivo e nos servem como guia para fazermos nossas escolhas pessoais, afim de nos levar a reflexão:

É essa realidade que quero para mim?

Monik Ornellas

{ 7 comentários... read them below or Comment }

  1. Muito bom!... Deixar de alimentar a Matriz... você não a alimenta, eu não a alimento... mas alguns bilhões ainda a sustentam... será que nossa energia irradiada com a percepção disso será suficiente para acionar outros a entender que "é preciso deixar tudo para trás", que o novo não pode conter velhos dogmas, velhas energias e que só precisamos ser... estar na aceitação... entender que é uma experiência, seja o que for.... e que nada tem o valor que se lhe atribuimos, pois é finito, por um tempo e pronto... nunca mais, então não é real.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. O importante é fazermos nossa parte Semeador.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Até senti agora essa sensação hehe "os fatos mudam, quando mudamos, no espaço-tempo de um “enter”!

    Legal seu blog. Vou te seguir para acompanhar as atualizações =)

    ResponderExcluir
  4. Você esquece que os fatos não são aquilo que o observador vê quando olha, mas sim aquilo que eles realmente são.
    Mas filosofias à parte, muito simplesmente só temos dois estágios de sabedoria que podemos optar: viver em crenças, ou viver assente em factos.

    Os seres inteligentes e bem formados sabem que os fatos são o modo superior de alcançar uma verdade, já as crenças não são absolutamente nada a não ser acreditar no que não se pode ver, tocar, ouvir, etc. A crença é portanto um estado de sabedoria inferior ao factos que, não sendo absolutos para alcançarmos uma verdade, são no entanto aqueles que nos fazem chegar lá.

    www.outrolivrodemormon.vlogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a sua verdade, portanto vc cria fatos que a comprovam.

      Eu, não esqueço nada, essa é a minha verdade onde vejo aquilo que me permito enxergar. Se a forma como percebo as coisas ou os fatos mudam, tudo muda.

      Nas minhas crenças, os seres que se julgam inteligentes e superiores, ficam estagnados na sua própria percepção de superioridade.

      Excluir

Deixe suas dúvidas ou mande um e-mail.

- Copyright © Monik Ornellas - Skyblue - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -