Posted by : Monik Ornellas

Se você não entende que pensamentos criam coisas, será difícil compreender esse artigo.

Toda realidade que vivemos é criada a partir da forma que a compreendemos. Sobre cada coisa, pessoa ou situação que interagimos desenvolvemos idéias e conceitos que ganham vida, peso e forma no campo sutil, claro, uma vida, um peso e uma forma mais sutis. Quanto mais pensamentos e sentimentos temos em relação a determinada coisa mais vida lhe atribuímos, isso fica mais fácil de entender se você ler meu artigo O Poder da Atenção.

A humanidade cria, na verdade co-cria diversas “vidas” de forma inconsciente, e esse é o caso dos vírus e das bactérias.

Todo mundo sabe que vírus e bactérias são oportunistas, eles sempre entram por uma brecha. Na vida comum, as pessoas se sentem suscetíveis aos vírus e bactérias como se elas estivessem o tempo todo expostas à eles, pode ser assim, mas não é bem assim, rs.

Como vivemos num Universo 3D vibracional, toda forma de vida tem sob identificação uma vibração específica, cada um de nós tem uma forma específica de vibrar e estamos a cada segundo mudando isso mediante pensamentos e sentimentos diversificados que cultivamos ao longo do dia, e essa é a chave para um vírus ou uma bactéria entrar no seu corpinho: ele precisa de uma chave, ou melhor, uma permissão vibracional.

Vou pular para um outro ponto e depois volto aqui. Porquê a cada dia nos deparamos com os mais diversificados vírus e bactérias?

Digamos que a maioria das pessoas estejam com medo, o que não deixa de ser uma verdade atual. O sentimento - medo -, gera um pensamento sobre ele e um vai alimentando e reforçando o outro criando ‘formas-pensamento’ que começam a agir de maneira automática no campo do indivíduo. Digamos que esse processo esteja acontecendo ao mesmo tempo com 3, 4, 100, 558, 1800, 1 bilhão pessoas! Em determinado momento essas formas pensamento em conjunto criam uma massa crítica e essa massa crítica ganha vida na forma de um vírus ou uma bactéria, que vou chamar aqui de o “vírus do medo”. Ele ganha vida, peso e forma na realidade sutil e consequentemente na material.

Daí vemos muitas pessoas começarem a experimentar uma onda de gripe, uma doença epidêmica e por aí vai.

Se você compreender que o corpo é uma das expressões de nossa consciência e que cada doença ou sintoma nos fala de processos inconscientes, fica fácil entender esse funcionamento da realidade (vide Olhar Metafísico).

Agora voltando ao nosso corpo e sua interação com vírus e bactérias. É preciso entrar no mesmo Ponto vibracional do vírus para que ele encontre uma brecha. Se você não tem medo, o ‘vírus do medo’ não encontra ressonância em você e por isso sua família adoece e você não.

Um vírus não tem capacidade de se modular (mudar) sua vibração para entrar em nosso corpo, enquanto nós podemos deliberadamente fazer isso, porém, a partir do momento que ele entra, aprende novas identificações e se auto transforma, criando uma resistência e novos Pontos de Vibração.

Com isso eu deixo a pergunta para reflexão, o que há por trás de cada uma dessas doenças epidêmicas que criamos?

{ 1 comentários... read them below or add one }

  1. Nesses últimos meses percebi o quanto o medo, de fato, dirigi boa parte de nossas vidas.

    Boa parte dos nossos atos e de nossas decisões são tomadas baseadas no receio de que "alguma coisa possa acontecer".

    A impressão que dá é que vivemos em um mundo que oferece um risco constante. Risco de sair na rua a noite e ser assaltado, de comer uma comida estragada e ficar doente, de ficar sem dinheiro até o final do mês e etc, etc. A impressão que dá é que estamos plugados no modo "sobrevivência", e a partir desse modo, tomamos todas as decisões na nossa vida.

    Será que esse risco é real mesmo?

    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe suas dúvidas ou mande um e-mail.

- Copyright © Monik Ornellas - Skyblue - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -