Para quê raios, sentimos DOR???

Eu acredito que tudo tem um propósito no Universo, você não? Mas, não creio que sofrer seja a razão pela qual sentimos dores. Acredito que o sofrimento é o reflexo da nossa resistência em assumir o que há por trás da dor.


Vou começar pelo fim:

 A dor é um sinal de SOS do seu inconsciente dizendo que algumas escolhas na sua vida, não estão alinhadas com sua essência. Já a doença é o último recurso que seu inconsciente tem, para te chamar na xinxa: "e aí cara, você vai parar para se perceber e alinhar, ou, vou ter que dar voadora?".

Sim, é sob efeito de nocaute que muita gente acorda. Ou não. 

O corpo físico é o mediador entre tudo que acontece 
nos bastidores do nosso inconsciente e a realidade. 

Eu sei que você aprendeu e vive sobre a perspectiva que o corpo físico é O Cara, mas, que tal expandirmos um pouco mais essa ideia? Você aprendeu também, que seu corpo é autônomo, ou melhor, seu funcionamento independe da sua vontade. Daí seu estômago enguiça, seu intestino emperra e para que eles tenham um funcionamento redondo você precisa melhorar o combustível, trocar a peça que está ruim ou fazer um remendo na situação.

E tem mais, acredita-se que estamos completamente susceptíveis ao meio. Estava você passeando lindo e faceiro na rua, uma bactéria errante que não tinha o que fazer, resolveu te atacar e pá! Tá você doente.

Girando a chave a percepção.

Você tem um corpo para algo além de comer, beber, fazer sexo ou te proporcionar um rostinho bonito para as fotos do Instagram. E é claro que a qualidade e quantidade na qual você faz essas coisas, também influenciam o equilíbrio do corpo. Mas, não só.

Ele é uma ferramenta de evolução humana. 
Por isso é individual, pessoal e intransferível. 


Somos muito mais que um corpo físico.
A sua dor, nunca será igual a minha. O que temos em comum é que dói, mas o porque dói, é pessoal.

Para você ter uma idéia, pelos sintomas que meu cliente apresenta, eu posso "ler" o conflito que ele vive no âmbito mental e emocional. 

Obviamente, a dor de estômago da pessoa A, não foi criada da mesma forma que a pessoa B, porém, a área da vida delas referente a capacidade de digerir e se posicionar, está em conflito mental e emocional e por isso, elas sentem dor, pois estão transgredindo a si mesmas.

Mas e aí? Será que você tem que ficar sentindo a dor para conseguir curá-la? Eu não gosto de sentir e acredito que você também não. Mas, o hábito de se entupir de remédio a cada mínimo sintoma, nos deixa capengas na vida.

A dor - como um primeiro estágio do desequilíbrio -, nos fala sobre atitudes e/ou comportamentos que precisam ser revistos. 
Já a doença, nos diz que essas atitudes e/ou comportamentos viraram padrões auto destrutivos. 

Mais do que um incômodo a ser remediado, toda dor ou doença, nos diz que precisamos de mudança. Uma mudança de comportamento.

Por exemplo, digamos que eu tenha muito peso e dor nos ombros. Metafisicamente, entendo que estou me sobrecarregando mental e emocionalmente com muito mais do que aquilo que posso lidar. Quais mudanças seriam necessárias para que eu resolvesse esse incômodo, além da pilulazinha?

- Reconhecer meus limites e capacidades, e diante disso;
- Delegar;
- Observar se o peso que carrego é meu, ou se também estou carregando pesos de outros;
- Caso esteja carregando de outros, devolvo aquilo que não é meu;
- Se, eu não quiser/conseguir devolver, tenho que ver porque me sinto apegada ao peso dos outros. Quero ser reconhecida por isso? Acho que as pessoas só me dão valor se eu fizer mais por elas, do que por mim? Acredito que não são capazes de lidar com a própria dor, por isso, as pego para mim? E por aí vai.... Você terá que abrir mão desse vício;
- Auto cobrança em excesso: eu tenho uma mente rígida onde me cobro o tempo todo? Não me dou descanso, não me permito errar?

Nós somos seres sinérgicos, quando não temos cuidado e atenção, acumulamos coisas das pessoas a nossa volta, dos ambientes, rádios, tv's e tudo que tem interação conosco. Mas isso é culpa do meio ou das pessoas? Não. Cada um de nós tem um corpo e um sistema imunológico, exatamente para que cada um dê conta de si.

Veja bem você, enumerei alguns poucos itens que normalmente são causas mentais e emocionais de um simples peso nos ombros. É um trabalho, não é?

Agora imagina o quanto você joga para debaixo dos panos, quando se entope de relaxante muscular para não lidar com essas questões? Agora preveja essa dor ao longo de anos de rejeição e entorpecimento. Todo esse processo mental-emocional vai se entrelaçando com outros, criando casos cada vez mais dolorosos e complicados de se resolver.

Estou dizendo para não tomar remédios? NÃO. Estou dizendo que há um mundo de sensações e percepções pessoais que você precisa explorar para além do comprimido. 

Tome seu remédio, mas comece um trabalho de sentir o corpo que você tem. Toque-se, respire, sinta as sensações para aprender a conhecê-las. Não importa a forma, tamanho, gênero ou cor. Seu corpo é sua ferramenta de evolução para uma vida feliz e sem dor.

O melhor remédio que existe é a Consciência Corporal.

Ame-se. Cuide-se.

Monik Ornellas é terapeuta corporal há 16 anos, 
aromaterapeuta e instrutora de Reflexologia.

Ama o que faz e acredita que o autoconhecimento
é a cura de todos os males.



Fechada para Balanço

Já tem um tempo que estou fechada para balanço. Um movimento necessário, vital para manter a sanidade. Vez em quando eu tento sair do casulo e dar às caras, para em seguida me absorver na auto reflexão.

A verdade, é que eu gosto desse movimento. Como filha única, cresci sozinha, sem muitos amigos para socializar e isso me ajudou muito a aprender a conviver bem comigo. Bem demais às vezes!

Nos últimos 2 anos entrei profundamente dentro de mim. Peregrinei nos labirintos da vulnerabilidade, abri as cavernas onde minhas vergonhas se escondiam, puxei para fora monstros de inadequações, exorcizei aspectos sabotadores, entre outras tantas aberrações internas que existiam e existem não só dentro de mim, mas com certeza, também dentro de você que lê esse texto.

Olhando para todas essas dores internas minhas e olhando para o mundo, hoje, eu vejo o quanto todos nós seres humanos precisamos fazer esse caminho. Não há como olhar para o outro, sem olharmos para nós mesmos.

Descobri que é a partir da descoberta das minhas dores e vulnerabilidades que consigo despertar em mim, um olhar compassivo para o outro, pois quando reconheço as dores em mim, as reconheço nos outros. 

Somos todos interligados, então trabalhar a si mesmo, é como fazer um upgrade na rede.

Eu sei que esse pode ser um conceito muito viajandão para você, mas desculpe, acredito que essa seja uma das expansões de consciência das mais vitais, para que possamos crescer e nos respeitar, enquanto seres dotados de raciocínio e sentimentos. Aliás, as mazelas e a violência absurda que vivemos, vêm exatamente dessa visão de separação de humanos para humanos, de humanos para com o planeta e por aí vai.

Se você se indigna com o mundo, trabalhe a si mesmo;
Se você acorda todos os dias se sentindo mal por existir, trabalhe a si mesmo;
Se você tem depressão, dores no corpo, trabalhe a si mesmo.

Caso tenha uma vida extremamente feliz e harmoniosa, trabalhe a si mesmo para mantê-la com agradecimento e alegria, pois nosso planeta precisa muito dessa vibe ancorada em cada ser vivente aqui.

Vejo que esse movimento de autoconhecimento é muito, muito difícil para a maioria das pessoas. Acredito até que seja completamente desprezado por muitas, ignorado por outras e tido como impossível para milhares.

O objetivo de trabalhar a si mesmo é termos uma vida harmônica e feliz, independente do que aconteça no mundo. Se todo mundo surta e a a gente também, como ajudar no equilíbrio do planeta? Alguém tem que estar equilibrado, não? A busca é essa.

Desligue a televisão, saia das redes sociais, pare de se espelhar nos outros e entre em você.

Abra as gavetas e armários do passado, desça no porão da sua infância, abra as janelas do sótão das suas memórias. Coloque tudo abaixo, limpe, jogue fora de experiências e situações, até dogmas e crenças que não te transformam num ser humano melhor e mais HUMANO. Admita suas invejas, hipocrisias e compulsões de todo tipo, expurgue suas raivas, exorcize seus pré e pós conceitos, examine suas pequenas corrupções do dia-a-dia, abra os olhos para a qualidade dos seus relacionamentos e os jogos de poder implícitos em cada um. Chore, ria, xingue, tenha orgasmos ou mesmo admita a frigidez da sua vida. Isso é ser humano na forma literal da palavra: enxergar cada pedaço de humanidade perfeita ou imperfeita existente dentro de nós. E mais do que tudo, não tenha pressa com esse processo, você precisará de tempo e estômago para digerir coisas que não sabia existir dentro de você. Esteja disponível para isso.

Sua forma de ver o mundo mudará completamente durante esse processo.

Fonte: http://guiadoestrangeiro.com/se-virando-na-europa/
Sempre vejo um grande impedimento à maioria das pessoas que gostariam de entrar nesse processo, mas não se permitem: a ideia de que sair do mundo, é deixar de se importar com ele, é ser egoísta. A crença de que para mudar o mundo, temos que mudar as pessoas, lutar, ser ativista ou brigar por algo no qual acreditamos que tenha que ser mudado.

Eu já fiz parte dessa vibe. Todo meu histórico de posts do Bitola Humana eram de uma pessoa que queria muito mudar o mundo, queria que as pessoas fossem mais conscientes e blablabla. Tudo besteira.

Eu desisti? Jamais! Continuo disponível para a mudança, mas a minha. Acredito que cada coisinha que equilibro dentro de mim, crio esse mesmo potencial de equilíbrio no Universo, porque entendo que o impacto de uma pessoa com cada vez mais esclarecimentos internos, mais auto percepção e equilíbrio, faz uma diferença vibracional absurda no planeta. Absurda!

Entendi que realidades são pessoais e intransferíveis, mesmo que conectadas pelo inconsciente e que cada pequeno pensamento que temos, causam grandes impactos no mundo, afinal, são mais de 7,2 bilhões de pessoas pensando. E que, tentar mudar uma pessoinha que seja, é um enorme desperdício de energia, que nos deixa constantemente com a sensação de frustração e fracasso.

Agora, quando você decide mudar a si mesmo, não há limites! No início dói, porém, já sentimos a dor da não-mudança todos os dias, nas juntas, no acúmulo de doenças e caixas de remédios ou mesmo naquela angústia que se recusa a sair do peito, estando você num parque de diversões ou comendo uma sobremesa dos deuses.

Sinto lhe informar: não existe consumo, diversão, droga ou prazer físico que vá apaziguar a urgência interna de mudança.

Eu sei que você sente isso. Todos no mundo, nesse momento, sentem isso. Te falo que passa, mas para isso, você tem que cair dentro. Topas?


Beijos! 

REFLEXOLOGIA PALMAR: uma Terapia maravilhosa e pouco conhecida

Muito se fala da Reflexologia nos pés, mas bem poucos conhecem a Reflexologia nas mãos, e os que conhecem pouco valorizam os benefícios da REFLEXOLOGIA PALMAR.


Ela é simplesmente M A R A V I L H O S A!

Nesse exato momento, estou eu aqui digitando quilômetros de textos, ontem estava eu utilizando esses mesmos dedos para apertar e amassar pontos em corpos alheios, foram muitos corpos e muuuuitos pontos.

São 15 anos cuidando de pessoas e te digo, se eu não tivesse a Reflexologia Palmar, com certeza já teria uma tendinite, bursite, fraqueza muscular e muitos outros desequilíbrios causados pelo excesso de uso dos meus braços e mãos, mas, de posse dessa técnica, periodicamente a utilizo para colocar tudo no lugar. Com isso, crio mais resistência e flexibilidade.

A Reflexologia Palmar tem uma característica muito legal, além de tratar os pontos reflexos tal como os pés, ela também solta todos os nós e tensões acumulados nos tendões e músculos da mão, punho e antebraço.

Utilizamos nossas mãos diariamente, seja teclando no computador ou celular, carregamos peso, seguramos uma infinidade de objetos, mas poucos se tocam da necessidade de fazer a manutenção em suas mãos, até que elas comecem a apresentar dor e problemas.

Pelas mãos nós podemos:

  • Reequilibrar toda parte superior do corpo: ombro, nuca, pescoço e cabeça;
  • Diminuir tensões e processos emocionais que naturalmente se expandem do peito, ombro e nuca para as mãos;
  • Tratar todos os sistemas e órgãos, pelos pontos reflexos dispostos nelas;
  • Prevenir e tratar tensões localizadas que geram dor e incapacitações;
  • Relaxar, desobstruindo canais, músculos e tendões

Agora algumas dicas que são bem importantes para você que como eu, faz uso intenso das mãos e sente aquele "peso" eventualmente. Preste atenção, pois esse é um sinal de que já existe uma sobrecarga dos músculos e tendões. Seguem as dicas:


  • Alongue diariamente seus braços, punho, polegar e dedos. O alongamento periódico ajuda a prevenir muitas dores e probleminhas;
  • Após atividades onde empenhou muito esforço massageie seus dedos, principalmente as articulações pequeninas das falanges de cada dedo, até que todo desconforto seja dissolvido, isso deixa as articulações saudáveis e previne o desenvolvimento de artrose e artrite;
  • Faça um escalda mãos. Da mesma forma que os pés, você pode utilizar a água quente e sais para relaxar a musculatura profunda, além de fazer um limpeza energética.
Viu, é bem simples. Com esses pequenos hábitos você pode prevenir muitos problemas nas mãos, punho e braços. 

Mas e se você já tiver um processo de dores ou tendinite? Mesmo procedimento, a diferença é que agora quando você apertar e massagear sentirá dor, então, mantenha a massagem até que o desconforto diminua.

Observação importante: não tente resolver o problema todo de uma vez, um resultado melhor é obtido quando você vai a cada dia soltando mais e mais as tensões. Dê tempo ao seu corpo para digerir as tensões liberadas em cada massagem.

Precisa equilibrar um órgão? Utilize os pontos reflexos das mãos. São de fácil acesso, você pode massagear em qualquer lugar e situação e tem um resultado super rápido.

É muito fácil você mesmo se auto aplicar, mas caso queira um tratamento para algo mais complicado, acesse a parte de Atendimentos do site, se deseja se aprofundar na técnica, veja os detalhes do Curso de Reflexologia Podal e Palmar.

Um Forte Abraço!



Onde está o Humano em Você?


Ando bem quietinha nos meus textos, isso porque tenho sentido o desejo de somente observar. Observar o outro e trabalhar em mim, aquilo que me escandaliza nesse alguém, chamado outro.


Observo o mundo: pessoas na rua, na internet, comentários de matérias, programas de todos os tipos, vídeos e posts. É quase um hobby, rs.

E nesse processo de observar e limpar meus preconceitos, crenças e percepções distorcidas da realidade, surgiu um espaço muito bonito de um olhar carinhoso em relação à todos que vivem essa realidade dura, violenta e difícil, diariamente.

No início ficava extremamente indignada com a maldade, com a falta de sensibilidade dos comentários, a falta de gentileza e educação na rua.

Sei que você deve estar pensando: "É mesmo Monik, o mundo está muito violento, as pessoas muito mal educadas, blablabla", todos são unânimes nisso, não é? Pessoalmente, não curto essa falácia unânime sobre qualquer coisa, sendo assim, resolvi trabalhar em mim tudo que me incomodava e - literalmente - me dava falta de ar. Sim, eu me sentia muito sufocada só de ler um comentário cheio de ódio e preconceito sobre qualquer coisa. Então, comecei a trabalhar em mim aquela sensação desconfortável.

Encontrei vários sentimentos fortes, vitimistas e auto excludentes e dentre eles, muita raiva pelo outro ser do jeito que eu acreditava que ele era: ignorante, insensível e mal educado, tudo pautado nas crenças e educação que tive.

Porém, eu estava fazendo o MESMO que ele fazia, quando o julgava e detestava por ele ser como é, e não como EU gostaria que fosse, sendo que, eu mesma NÃO estava fazendo, aquilo que acreditava que o outro deveria fazer: ser consciente, compreensivo e sem preconceitos. Entende a incongruência das coisas? Na verdade, o dedo que eu estava apontando para as pessoas, era para mim mesma.

E é isso. Ponto. Quando limpo em mim, essa necessidade egoísta e mimada de querer que o outro tenha ideias, percepções e comportamentos que EU acho apropriados, consigo vê-lo exatamente como ele é: humano. Tal como eu sou, na mesmíssima proporção. Nem mais, nem menos, nem melhor, nem pior.

Fazendo esse trabalho comigo, percebi o quanto de tristeza, infelicidade, angustia, vergonha e inapropriação existem em cada um de nós e que quando o outro se faz insensível ou maldoso, é somente uma capa de proteção, pois ele acredita que o mundo onde vive é um lugar hostil e todo esse comportamento destrutivo é uma forma inconsciente de defesa.

Minha dica é: se você acha que o mundo anda ruim, violento e desumano, mude essa percepção que foi construída dentro de você, esse olhar é completamente desumano não com o outro, mas com você mesmo. Quando limpamos a violência e a maldade que existe dentro de nós, conseguimos ver a nós mesmos e aos outros em outras perspectivas.


Você vai descobrir que na verdade, não vivemos num mundo violento, mas sim de pessoas feridas e fragilizadas, tal como um animal que recebeu maus tratos e por isso, desenvolveu uma noção negativa sobre pessoas, não conseguindo mais diferenciar se aquele humano em particular, deseja lhe dar um carinho ou um tapa. Pois é, sem consciência, não somos diferentes em nada dos animais.

Mas, toda essa defesa e agressividade, no funfo no fundo, são reflexo de um pedido de socorro que se resume na busca por um olhar carinhoso sobre si mesmas.

Humanidade se espelha no nosso olhar, então, vale a pena mudar a si mesmo.
Bjs!


Perdas, Ritual de Liberação.


Pessoas, parentes, empregos, relacionamentos, animais de estimação, amizades, objetos e os mais diversos tipos de situações vêm e vão de nossas vidas. É um movimento natural do universo onde vivemos, a renovação de tudo.

Mas o que não é natural, é o nosso apego. Na verdade, esse comportamento humano é bastante tóxico.

Você não chora quando o dia termina, chora? Também não se despedaça quando a lua se vai e dá lugar ao sol, não é? Todos os dias o universo no dá uma lição de transição e renovação, deixando tudo para atrás, afim de nos oportunizar um novo dia, uma nova noite, sempre com novas possibilidades.

E nós, sempre que passamos por esses ciclos onde algo se vai, seja o que for, precisamos de algumas práticas para que possamos nos permitir a liberação de toda carga mental, emocional e física presa dentro de cada situação da vida. Caso não o façamos, ficaremos pesados, presos, operando de um lugar de negação da vida pelo apego àquilo que se foi.

Na verdade, qualquer comportamento e pensamento que tenhamos que não nos faça bem, pode ser deixado para trás, assim como uma roupa que não nos serve mais. Porém, tenha em mente que quando nos apegamos à algo, seja ele um pensamento, comportamento, pessoa ou situação, esse laço acontece em diversos níveis.

Um liberação bem feita precisa acontecer em todos os níveis: físico, mental, emocional e energético. Por esse motivo, alguns processos pedem mais repetições do Ritual devido as raízes internas que foram criadas, enquanto outros, conseguimos Deixar Ir na primeira levada de liberação.

Embora tenhamos o hábito de associar a idéia de "Renovação" aos finais de ano, essa é uma dinâmica que acontece diariamente, e o ideal seria termos uma prática constante de liberação das situações nos que causam desconforto.

O Ritual que irei passar é bem simples. Pode e deve ser aplicado à tudo em sua vida que se foi, ou mesmo, caso queira se desfazer de algo que não serve mais à sua vida, como um pensamento ou comportamento nocivo.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES
Rituais
Muita pessoas têm resistência a palavra "ritual", associam às bruxas, à magia, etc. Mas o fato é que, somos seres imersos em rituais diários: da forma como levanta, a forma como prepara o café da manhã, ao jeito que se veste e dirige, tudo é imerso em rituais, porém, você não os utiliza com a intenção e consciência necessárias para criar uma mudança real em sua vida. Eles são automáticos e inconscientes, mesmo aqueles que são danosos para nossa vida.

Então, o que iremos fazer, é utilizar o que você já faz no dia-a-dia com consciência e presença, afim de criar mudanças pessoais positivas.

A Liberação é Pessoal e Intransferível
Ah! Importante também, é que esse que ritual é todo em primeira pessoa: "EU me permito liberar os MEUS ciúmes em relação à fulano, EU me permito ME sentir mais segura", e não: "eu quero que fulano pare de me tratar, sair, comer, andar, fazer tal comportamento". Não. A liberação é pessoal, é você que precisa mudar para o universo à sua volta esteja de acordo ao seu nível interno de auto estima, ok?

Então, se você acredita que os outros é que estão errados e você não precisa mudar ou liberar nada, esse ritual não lhe serve, blz? E tá tudo bem.

Da mesma forma, se você acredita que, se liberar o peso e saudade daquele parente que morreu você deixará de prestar homenagens e irá esquecê-lo, esse ritual também não surtirá efeito, pois ele precisa que você queira seguir em frente e deixar o passado no passado.


RITUAL:
Prepare tudo para tomar um banho demorado, mas, antes de entrar deixe todos os itens abaixo à mão.

Primeiro processo: Limpeza física  e energética
Você precisa limpar seu corpo físico e também o corpo energético, que normalmente ficam carregados de tensões e retensões energéticas advindas dos apegos.

Você precisará:
- Um balde e água;
- 2 xícaras de Sal Grosso, que fazem a limpeza energética;
- Óleos essenciais: 5 gotas de Sálvia Officinalis , 3 gotas de Alecrim, 5 gotas de Tea Tree (melaleuca), complementam a limpeza do físico e ainda auxiliam por meio da aromaterapia, limpar memórias e lembranças. Quando se tratar de liberação de parentes que se foram, acrescente 3 gotas de óleo essencial de Pinho.

Num balde coloque um terço de água fria, no box complete até a metade com água quente ou morna. Deixe para colocar o sal e os óleos essenciais, na hora que for fazer o ritual.

Segundo Processo: Energização
Toda vez que limpamos algo, abrimos um espaço. Agora iremos preencher esse espaço com coisas boas e desejos de paz e harmonia.

Você precisará:
- Flores! Compre àquelas que deixam seu coração feliz, que te proporcionam bem estar e alegria. Não pegue indicação de ninguém, olhe para a flor e veja se tem vontade de levá-la.
- Óleos Essenciais: 5 gotas de Lavanda Francesa, 3 gotas de Rosa ou Gerânio, 4 gotas de Litsea Cubeba. Caso não vá pegar sol depois, adicione 3 gotas de Bergamota (fotossintetizante).

Se tiver banheira, esse é o momento de fazer uma deliciosa imersão, caso não tenha, coloque a mesma proporção de água fria e quente no balde e só adicione as flores e os óleos essenciais quando for utilizá-los.

COMO FAZER:
Limpeza
Tome seu banho normalmente, já se preparando mental e emocionalmente para o ritual. Lembre-se de todas situações, pessoas e/ou sentimentos que deseja liberar.

Após o banho, pegue o balde do Processo de Limpeza, despeje o sal e os óleos essenciais.
Busque concentração e foco interno naquilo que deseja liberar, com um caneco pegue a água da mistura feita no balde, jogue no corpo ou em algum lugar específico que sinta necessidade, verbalizando:
"Agradeço pela experiência de ter tido 'essa situação/pessoa/objeto/emprego' na vida, porém, agora permito que 'essa situação/pessoa/objeto/emprego' sigam seu caminho".
Porquê precisamos falar isso? Porquê, ao verbalizarmos nossa intensão lhes damos força e foco. Se você colocar um forte desejo de realmente 'deixar ir', perceberá que algo dentro de você fica mais leve.

O emprego foi ruim, o relacionamento que é um inferno, devo agradecer? Experiência é experiência. Mesmo o ruim nos ensina o que não nos serve, dessa forma, podemos numa próxima oportunidade escolher o nos cabe. Mas, se você sente ainda raiva da situação/pessoa/objeto/emprego, libere a raiva, se tem mágoa, libere a mágoa e por aí vai. Quando sentir que pode simplesmente agradecer pela oportunidade de vivido tal situação, então o faça.

Muitas pessoas tem dificuldade no desepego e podem não conseguir liberar todas as nuances de uma só vez. Sugiro que periodicamente repitam o Ritual até sentirem que conseguiram liberar. E como saber se liberou? A sensação de 'pesar' desaparece, quando você lembra da  situação/pessoa/objeto/emprego, deixam de emergir sentimentos de tristeza, inadequação ou qualquer sensação angustiante.

As lembranças passam a ser lembranças, os empregos e relacionamentos passam a ser experiências que lhe acrescentam maturidade, os objetos são substituídos por outros mais apropriados à quem você é agora. O peso das costas saem, e todo um espaço interno se abre para que a  situação/pessoa/objeto/emprego melhores possam fluir para sua vida, aqui e agora.

Energização:
Depois que terminar todo o Ritual de Limpeza, abra o chuveiro e deixe a água lavar e levar todo sal e óleos essenciais. Se quiser pode se ensaboar novamente.

Pegue o balde de energização com a mesma medida de água fria e quente do Processo de Limpeza. Enquanto joga as flores do balde  agradeça por absolutamente tudo que você conseguir lembrar, do ar que respira aos bens materiais e pessoas fenomenais. Adicione os óleos essenciais, com um caneco pegue porções da mistura e vá jogando em todo corpo verbalizando:

" Agradeço a tudo de maravilhoso que possuo e desejo me permitir a ser/ter/fazer  ______________ (algo positivo)"

"Me permito ser mais feliz", "a tirar um tempo para mim periodicamente", "a me amar, "a me perdoar por qualquer coisa, mesmo aquelas que não tenho consciência", "a dizer não", "a me respeitar", "a ter relacionamentos saudáveis", "ter tempo para o que é realmente importante e me faz bem", "a gostar da minha presença", "a me achar bonito(a) do jeito que sou", etc.

Caso tenha banheira, encha com água morna e conforme for colocando as flores, agradeça por absolutamente tudo que você conseguir lembrar, do ar que respira aos bens materiais e pessoas fenomenais. Entre na banheira, jogue os óleos essenciais e verbalize a frase acima fazendo o mesmo ritual.

Esse é um ritual muuuuito gostoso. Ao fim estamos mais leves, renovados e muito perfumados!!! rsrs

O ideal é que façamos sempre esse ritual de "deixar ir", criando deliciosos ritos de passagem em nossas vidas, nos permitindo sermos mais flexíveis perante as situações da vida, afim de criar uma jornada mais leve, renovada e sempre, sempre perfumada.


Produtos Aromas & Sinergias
Tenho dois produtos para fazer esse ritual:

Sal de Banho Renovação


















Kit Xô Uruca
















Crie o hábito desse delicioso Ritual que nos proporciona leveza, liberação e cada vez mais clareza nas tomadas de decisão da Vida.

Cuide-se!
Ame-se!

Abraços! Monik Ornellas

Somos TODOS Vampiros Energéticos

Tenho plena consciência sobre o quanto tal ideia proporciona resistência e aversão nas pessoas, a de que: Somos todos vampiros de alguma forma, eu, você, sua mãe, o cara da esquina, TODOS!

É um fato real energético-espiritual inconsciente.


Temos uma cultura de aversão à tudo que é feio e escuro e o entendimento de "Vampirismo" está nesse balaio. Essa palavra, vampirismo, é associada à algo negativo, como algo que alguém rouba de você, mas irei usá-la nesse post no sentido de "trocas de energia", pois na verdade, é sobre isso que se trata.

Já falei claramente sobre Energia Negativa, e esse post complementa.

Nós vivemos num universo dual, onde não há ida, sem vinda e muito menos doação, sem recebedor. Se você está aqui lendo esse post num blog sobre consciência, sabe que no meu entendimento, não existem vítimas nesse universo, por sermos todos criadores da própria realidade, logo, não espere ler sobre "como se proteger de pessoas vampirescas bad vibe". Não vai rolar.

Normalmente, o vampirismo é um conceito sobre um comportamento que só é válido se está "fora" de nós, no sentido de estarmos à merce de algo ou alguém e nunca o contrário. Você consegue imaginar que você vampiriza as pessoas à sua volta? Difícil né? Mas rola. Não se culpe por isso, estamos no padrão, eu e você.

É bem simples: se você se relaciona em sociedade, muito provavelmente é, foi ou será um vampiro energético. Porquê? Porque todos nós temos carências em algum nível, e buscamos supri-las dentro dos nossos relacionamentos, entenda relacionamento, como tudo que você se relaciona: família, amigos, trabalho, redes sociais, esportes, atividades, objetos, etc.

O vampirismo energético ainda é nossa 
dinâmica básica de relacionamento do mundo.
O quê alimenta nossa realidade?

Se você ainda está resistente à ideia de que também é um vampiro, então, entenda: quando alguém nos vampiriza, mesmo estando no lugar da vitima, há um ganho qualquer por trás disso. Digamos que você seja uma dessas pessoas que ajuda todo mundo e sente que todos roubam sua energia. Esse é o preço da alimentação de uma auto estima baseada na necessidade de ser uma "pessoa boa". Tudo tem um preço, não desagradar ninguém sai bem caro energeticamente.

Vamos lá, começamos quando bebezinhos sugando nossa mãe, fisicamente, emocionalmente (os seios não foram colocados perto do coração à toa, né?) e também energeticamente. Não basta sermos amamentados fisicamente, é necessário no ato do mamar recebermos aquelas pílulas de amor, conforto e segurança, são essas emoções da mãe que vão criando na criança a noção de que ela está num local seguro, que é amada e nunca lhe faltará alimento, esse é o início da fundamentação do chakra básico (órgão energético).

Isso é um vampirismo (troca) visto de forma natural, se você conseguir compreender que, vampirismo nada mais é, que precisar se alimentar física, mental, emocional ou energeticamente do outro de alguma forma.

No caso do bebê, é necessário que ele se alimente da mãe em todos os níveis para poder construir sua noção de mundo, porém, também é mais que necessário que a mãe vá dando autonomia à criança a ter suas próprias experiências, afim de ir desenvolvendo sua auto percepção e independência. Com o tempo, ele irá desmamar fisicamente e assim gradativamente em diversos níveis ao longo dos anos, até se tornar um adulto totalmente sustentável física, energética, emocional e mentalmente.

Cada fase dentro do nosso crescimento enquanto crianças é de suma importância, porque cria a fundação das nossas bases mentais e emocionais, que darão o tom das nossas relações, todas elas: pessoas, parceiros, trabalho, amigos, família, filhos, etc. Se, por algum motivo algo nos falta nessa fundação, nós iremos buscar amigos, parceiros ou empregos que possam suprir o buraco no nosso campo campo emocional ou mental e consequentemente o energético.

É comum pais e filhos não conseguirem se liberar dessa alimentação emocional, e ainda quando adultos ficarem ligados de forma a desenvolverem relações extremamente difíceis, devido a essa "troca" que já deveria ter acabado. Só esse assunto dá um post inteiro.

Mas, uma observação importante: Não é de forma alguma culpa dos nossos pais o desenvolvimento das nossas relações-vampirescas. Eles sempre nos dão aquilo que têm de melhor, sendo o melhor, aquilo possuem para dar no grau ou formato que for. Culpá-los, é nos colocar nos lugar de vítimas e dessa forma continuar uma alimentação de cobrança, também vampiresca.

Não existem culpados, vítimas ou algozes nesse processo. O que existem são trocas. E como toda troca, você pode a qualquer momento, mudar a tônica na qual ela ocorre.

Vampirismo é um vício tão ou maior que cigarro ou drogas, aliás, um acontece do por causa do outro.

Por exemplo, se você não desenvolveu bem sua personalidade, a noção de quem você é, a auto aceitação total dos seus atributos, ou melhor, se não é sabedor de si mesmo, terá uma necessidade infinita de aprovação externa, e isso é vampirismo. Aliás, com as Redes Sociais, as selfies e etc, esse tipo de necessidade se transformou num vírus da aceitação e aprovação, alimentado pela quantidade de "curtidas recebidas".

É bom receber um elogio, porém, ser dependente dele para se sentir bem é o que caracteriza que você está buscando fora de si alimentação energética e emocional para tapar seu buraco de baixa auto estima. Porém, essa alimentação não dura muito, e na manhã seguinte você precisa de mais, e mais, e mais. Não importa se 123.098 pessoas curtiram sua foto, na verdade você só precisa de 1 curtida real e profunda: a sua.

Compartilhar ideias, fotos, eventos realmente é gostoso. Depender do feedback do compartilhamento para se sentir bem, é vampirismo.

Existem milhões de formas de criar vampirizações, a mais comum é àquela do tipo 'deixa a vida me levar':  a tia doente, o primo que precisa de ajuda, aquele projeto com prazo para entregar, as contas que nunca param de chegar, o cuidado dos filhos, a escola dos filhos, a adolescência dos filhos, o casamento dos filhos... E os problemas vão continuamente se substituindo uns aos outros e vamos aprendendo a tapar nossos buracos com pequenos elogios, reconhecimentos baratos e migalhas de atenção. Esse é um dos casos mais comuns de vampirização, porque aprendemos que é preciso se doar e colocar os outros em prioridade, caso contrário, somos egoístas.

Abafamos sonhos, desejos e vontades, pois elas nunca são compatíveis com as prioridades vigentes: os outros. Mas, é a realização pessoal e o auto conhecimento, que cria a força interna para gerar energia e expandi-la.

Para que você deixe de ser um "vampiro", é necessário que cure suas feridas, aprendendo a aceitar e amar a si mesmo em sua totalidade, fechando seus "buracos emocionais" e suas carências, o mesmo vale para quem vive colocando seu pescocinho para os outros se aproveitarem.

Esse vampirismo só deixa de acontecer quando estamos totalmente alinhados com nossas necessidades emocionais, físicas e mentais de forma que, nós mesmos desenvolvemos a habilidade em supri las, sem cobrar qualquer responsabilidade daqueles que você "ama".

Nós somos seres autônomos, sob todos os aspectos. Quando temos qualquer tipo de dependência em relação à outras pessoas, isso significa que nós roubamos delas - e vive versa, pois não existe via de mão única -, conteúdos energético e emocional para tapar nossos buracos, afim de que não sintamos a dor que ali existe.

Não existem vítimas, como também, não existem algozes. 

Tanto que, no momento que decidimos tomar atitudes, dizer não, se assumir, se bancar, fechamos a porta que permite a captação da nossa energia e passamos a reverter esse manancial para a auto realização, tiramos nosso pescoço do páreo. O contrário também é válido, ao suprir as próprias carências, os medos e inseguranças, paramos de buscar energia dos outros e passamos a nos sustentar de forma mais saudável,  nos re energizando na natureza, com a motivação de projetos, de auto estima e tudo que mantêm nossa mente alinhada com nossos propósitos pessoais.

Já escrevi diversas vezes aqui que somos seres sinérgicos. Seres emocionais e mentais que manipulam  energia de acordo com a forma como se sentem. Mas, basicamente dispomos de um manancial absurdo de energia para nos nutrir, e como tudo nesse planeta, essa energia é reciclável.

Captamos energia pela alimentação, pela respiração, pelo sol, os elementos da natureza e etc. Estamos imersos num universo abundante de energia para nos re-energizar, para que não tenhamos necessidade de tirar a do coleguinha.

Então, transcenda a palavra Vampirismo.



Abraço!

Monik Ornellas

Bruxismo, Como Aliviar e Visão Metafísica.

"O bruxismo é o hábito de pressionar e ranger os dentes durante o sono, produzindo ou não sons. Presente em adultos e crianças, o distúrbio normalmente acompanha a pessoa por toda a vida, já que o sucesso do tratamento depende essencialmente da resolução de questões emocionais. "As causas do ato inconsciente de apertar os dentes normalmente estão relacionadas a fatores psicológicos, como tensão, raiva, agressão reprimida, ansiedade, medo e, com destaque, estresse, além do mau posicionamento dental", explica o dentista Sidnei Goldmann.
Reclamações como ouvir zumbidos, ter dores perto do ouvido, da nuca e dos ombros, sentir dificuldade para mastigar, bocejar e abrir a boca e perceber estalos na região do ouvido, ao forçar a abertura da boca, são os principais sintomas do bruxismo, também conhecido por movimento parafuncional. Dores de cabeça e mandibulares também são sinais do distúrbio." Fonte: Minha Vida
Também afeta o sono, pois muitos tem que usar placas para dormir.

Olá clientes e amigos!

Essa semana vou falar sobre Bruxismo. Num outro post sobre "tensões faciais" abordei o tema, porém hoje vamos falar sobre a percepção metafísica do Bruxismo.

Pelo menos 80% das pessoas que atendo tem algum tipo de tensão maxilar, porém, o problema está bem além da tensão facial. No tratamento do Bruxismo é necessário um trabalho manual de soltura da musculatura facial, do pescoço, nuca e das costas.

A configuração mental de quem tem bruxismo é de uma pessoa extremamente ansiosa e insegura, que reprime seus impulsos de ir atrás daquilo que deseja. Os maxilares nos falam da força interna animal que "abocanha" a presa, por isso, os dentes são a expressão da nossa agressividade.

Normalmente o tipo de falácia mental presa nessa região é a "não vou conseguir", "não sou capaz", "não mereço", "é muito difícil", "vai dar tudo errado", etc.

Ansiedade, expectativa e frustração. 
Essa é a dinâmica compulsiva mental-emocional do Bruxismo.

A região da cabeça, pescoço, nuca e ombros é responsável pela nossa percepção pessoal da realidade, sobre nossa expressão, criatividade e a capacidade em realizar nossos sonhos mais coloridos e iluminados.

Quando uma pessoa sofre de bruxismo, essa região fica tão tensionada que começa a comprimir todos os nervos responsáveis pela visão, audição, pelo bom funcionamento dos braços e mãos entre tantos outros desequilíbrios.

A tensão mandibular faz com que todos os nossos sentidos - necessários para uma boa caçada -, fiquem alterados e comprometidos, pois não conseguimos:

  • Audição: ouvir a nós mesmos nem aos outros com clareza e auto percepção;
  • Visão: não conseguimos enxergar alvos reais e possíveis, pois falta auto percepção, logo, viabilizamos metas e objetivos ilusórios e absurdos;
  • Olfato: temos dificuldade de absorver e lidar com ideias próprias e externas;
  • Paladar: com isso, não sabemos separar o joio do trigo, nem selecionar o que é bom ou ruim para si mesmo.
  • Tato: não conseguimos alcançar/agarrar aquilo que desejamos na vida, pois nossos ombros,  braços e mãos ficam carregados com peso desnecessário.

O que significa que: com todos esses sentidos de percepção da realidade prejudicados, nos faltará clareza e percepção aguçadas em relação à nós mesmos e àquilo que queremos,  afetando a noção sobre nossa capacidade de ir atrás do que desejamos, logo, passamos a fazer coisas que não nos satisfazem, nos sobrecarregando mental e emocionalmente (ombros pesados, tendinite e bursite), minando o prazer de se expressar na vida, com isso, a energia do coração e pulmão também ficam comprometidas à longo prazo. Tudo está interligado.

Mas, porquê?
Temos um problema sério em lidar com a nossa Raiva e a Agressividade. Elas são vistas como más, como um comportamento feio e inadequado, com isso, rola uma auto repressão dos nossos impulsos primordiais. Isso porque, achamos que a raiva e consequentemente a agressividade vinda dela, se expressadas, serão canalizadas para algo ou alguém, e é esse o nó da questão.

O que não entendemos é que a Raiva (emoção) e a Agressividade (comportamento) são instintos vitais para nossa sobrevivência, para que possamos ir atrás dos nossos sonhos e defender com "unhas e dentes" o que é nosso (pontos de vista, ideias, projetos etc). Entende?

Defesa dos nossos pontos de vista.
A raiva canalizada para alguém é um veneno para nosso sangue e um verdadeiro desperdício de energia, porém, o impulso criativo proporcionado pela raiva quando canalizada para um projeto ou idéia, transforma mundos!

A raiva e agressividade canalizadas para algo ou alguém nos transforma em vítima, já quando canalizamos para projetos, nos tornamos empreendedores vorazes, incansáveis e famintos de realização!

Os animais utilizam a raiva para se defender fisicamente sustentando sua sobrevivência, nós, temos outros níveis de suma importância para canalizar essa mesma energia.

EQUILIBRANDO:
Ao longo dessa semana irei passar várias dicas para o auto tratamento do Bruxismo, utilizando a Aromaterapia, a Reflexologia, o Shiatsu, entre outros. Acompanhe minhas páginas para ficar por dentro: Reflexologia Podal e Palmar | Aromas & Sinergias

EFT (Emotional Freedom Technique):
utilize a técnica para limpar os processos mentais e emocionais que te incapacitam a alcançar seus objetivos.

Produtos Aromas & Sinergias:
Utilize o Creme Alívio ou o Óleo de Massagem Revigorante para auxiliar no processo de massagem a seguir.

Terapia Corporal:
Busque uma terapia corporal que faça a manipulação local, ou melhor, que solte os pontos e músculos congestionados pela tensão maxilar. No que se refere a terapia, sempre prefiro que a pessoa faça àquela a qual se sente bem, mas, farei minha indicações, blz?

  • Reflexologia Facial - Trabalha os pontos reflexos de todo corpo na face e manipula pontos tensionados;
  • Shiatsu - Além de ser uma Medicina, ele manipula, solta e alonga todos os pontos congestionados e depois integra todo o corpo.
  • Massagens - ayurvédica, sueca, thailandesa, todas lhe proporcionarão benefícios e não esqueça de pedir ao profissional para manipular os maxilares.

Auto Massagem e Alongamento:
É de suma importância que você alongue e solte a região, não espere o marido ou a esposa, o filho ou a amiga para te massagear, caia dentro você mesmo e aprenda a se cuidar. Observe os pontos e músculos abaixo e massageie-os até sentir alívio, pelo menos os da face e ombros, costas já complica, né? Rs.




Solte também o pescoço:


Agora solte o meio das costas, a região escapular e se possível toda coluna na sequência:

      

E para qualquer dúvida, pergunta ou observação, faça contato comigo pelo aromasesinergias@gmail.com ou pelo Formulário de Contato do site da Aromas & Sinergias.

Cuide-se! Ame-se!

Um Forte Abraço!

Monik Ornellas
Terapeuta corporal há mais de 10 anos.
Aromaterapeuta, Shiatsuterapeuta e Watsuterapeuta certificada.

Ansiedade, porquê e como tratar?

No último curso de Reflexologia quando estávamos estudando a metafísica das doenças, uma aluna me perguntou: porque somos tão ansiosos? É uma reclamação que sempre recebo e algo que também me incomodava bastante: como acabar com minha ansiedade?




Há tempos venho trabalhando as expectativas, as cobranças e o desejo pelos resultados que eu mesma sempre cultivei em relação à tudo que faço. Expectativa e auto cobrança de resultados são uma ponte direta para ansiedade.

O que descobri me observando é que a ansiedade está, quando nós não estamos em casa. Quando você está láaa no fim de semana de sol, chopp e amigos, na noite de namoro daqui há dois dias, na apresentação do projeto em uma hora, ou qualquer evento que cause um frisson, uma emoção ou qualquer tipo de bem estar físico e emocional que você NÃO desfruta no seu AGORA, então, a ansiedade nasce, cresce e nos absorve.

Passamos a dormir e acordar contando horas para a chegada da fonte de prazer que está lá na semana que vêm, daqui a 1 hora ou no dia seguinte, mas nunca aqui e agora.


Aquela crença que habita todos nós do "no pain, no game", onde acreditamos que, sem dor, sofrimento ou dificuldade o caminho não é válido, alimenta nossa ansiedade em 1000%. Estamos fazendo nosso trabalho chato para pagar contas, mas sonhando com um futuro primoroso, feliz, relaxante e que nunca chega. 

Mas, quando o momento feliz enfim se dá, também ficamos ansiosos porque não queremos que ele acabe, pois na segunda-feira a vida voltará a ser tom pastel-automático, logo, passamos a viver o mal estar da rotina antes mesmo que ela retorne, detonando o prazer, a curtição e a presença do tão esperado "momento feliz". Por isso é tão comum alcançarmos nossos objetivos, e ainda assim, estarmos vazios de contentamento.

Mas, o que é essa tal de PRESENÇA mesmo?



Eu sempre falo de presença, mas acho que muita gente não entende bem esse conceito. Presença, é quando estamos em Terra, lúcidos, perceptivos e respirantes dentro do aqui e agora. É quando você está presente e atento aos fatos do cotidiano entendendo que estes estão em relação à você e não você está em relação à eles. E isso inclui assumir responsabilidades sobre as próprias escolhas, como também pelas não-escolhas

Muito da ansiedade vêm, pelas não escolhas. A maioria das pessoas crêem que o mundo é aleatório e que boa parte do que acontece em suas vidas são efeito do acaso ou do destino, dessa forma, estão desprovidas do leme do próprio caminho. Esses conceitos alimentam a posição de vítima, e quando estamos no trono da vítima apontando e culpando o mundo e as pessoas pelo que nos acontece ou deixa de acontecer, a ansiedade se torna uma companheira de látex, botas e chicotinho em punho (muitas vezes, não tão chique assim). 

Presença é aceitar o momento, o que não significa se conformar com ele. É perceber o mal estar intrínseco em cada coisa que fazemos e escolher deliberadamente não fazê-lo ou mudar a forma como se faz. É perceber que aquele emprego lhe faz mal, te coloca pra baixo, mina sua auto estima e escolher mudar de emprego ou transformá-lo num trampolim; é sentir que aquele relacionamento io-io, te faz mais mal do que bem e escolher terminá-lo, recriá-lo ou entender o que te prende à ele afim de desatar o nó, é sentir o incômodo que aquele amigo ou pessoa te causa e buscar seu próprio incômodo espelhado no outro, entre uma enormidade de percepções que conseguimos desenvolver com o exercício contínuo da presença, seguida da escolha.

O que quero passar é que quando estamos presentes a cada momento, temos muito a perceber e escolher, e o exercício contínuo de percepção e escolha, vai linearizando novos acontecimentos cada vez mais felizes para nosso dia a dia-a-dia porque estamos a todo momento apontando para o que nos faz bem. E quando estamos mais felizes dentro das pequenas coisas do dia-a-dia, tendemos a projetar cada vez menos nossa felicidade para momentos futuros, exatamente porque a estamos vivendo agora. Bem estar aqui e agora = 0 ansiedade.

Ainda me sinto uma criança nessa prática de perceber, sentir e escolher. Hoje sei que de tanto respirar, uma hora os pensamentos e sentimentos vêm à tona e do meu jeito vou lidando com eles e me centrando. A persistência sempre faz a diferença.

E é essa construção do presente no aqui agora que diminui em muitos % o grau da nossa ansiedade.

10 para a Ansiedade, 0 para Presença, QUANDO:


Tem bicho mais ansioso e imediatista do que nossa criança?
- Nossa mente fervilha que nem bata-quente-crocante com milhões de projetos (meu caso); para trazer uma paz a esse frenesi aprendi o mantra "respira e prioriza".

- Acreditamos que certas situações são "maktub" (do destino); sempre podemos mudar as situações, se não podemos mudá-las, podemos mudar como nos sentimos em relação à elas e só isso, já muda tudo.

- Colocamos o poder de decisão na mão dos outros, lhes atribuindo a responsabilidade - e consequentemente a culpa - por decisões que são nossas; já quando assumimos nossas pendengas, nos tornamos o eixo do problema e também a via de solução.

- Não confiamos no que fazemos e acreditamos mais no feedback externo, do que naquilo que sentimos; depender da opinião alheia para se sentir bem é uma furada, que sempre caminha para afundar nossa auto estima.

- Temos como desejo atender as expectativas externas; desista, cada pessoa é um universo e nunca iremos agradar 100% delas, ás vezes nem 10%. Só podemos agradar a nós mesmos em 100%.

- Complicamos processos simples e protelamos resoluções imediatas com medo dos resultados, que só são ruins, pesados ou grandes na nossa doce e ansiosa imaginação.

- Temos necessidade de estar sempre em movimento e sob muita demanda; se você transa bem a pausa entre os movimentos, ok, caso contrário, o estado de calmaria ao invés de trazer alívio e descanso se transforma num estado de espera absurdamente ansiosa "pelo próximo passo".




- Vivemos em busca da cenoura de ouro ao colocarmos toda nossa felicidade nas mãos de alguém, na realização de projetos, no concluir de tarefas, no ganho de dinheiro ou qualquer coisa que esteja fora de alcance no aqui e agora; Não é estranho colocarmos nosso foco num possível resultado futuro, quando deveríamos estar totalmente focados no processo que leva à ele?

- Vivemos no mundos sonhos, sem fazer nada para materializá-los; sabe aquela frase: "você sonha em ganhar na loteria, mas não compra o bilhete? Por aí.

- Não damos atenção às nossas necessidades físicas e emocionais. Você e eu vivemos num corpo voltado para o prazer, é só observar nossos sentidos, todos eles nos remetem à alguma forma de prazer imediato. É como se estivéssemos encaixotados numa armadura que pede tudo o tempo todo, mas o que damos à ele? Horas de trabalho exaustivo, dietas insossas, paisagens congeladas, ausência de toque e intimidade? Esses são só os desejos físicos que buscamos conter e que só podemos extravasar nos fins de semana, talvez.

- E para finalizar: quando jogamos a responsabilidade das nossas necessidades físicas, emocionais ou materiais para os outros.

A ansiedade detona:

O sono: Você deita para dormir, mas continua planejando e organizando mentalmente tarefas que só poderão ser feitas no dia seguinte. Seu corpo não entende que já está na hora de desligar e recarregar, por isso, continua em alerta, como consequência você tem insônia ou desenvolve distúrbio do sono.

Este post por exemplo, comecei a construí-lo ontem quando estava na cama, tive o ímpeto de levantar para escrever, mas optei por ter um boa noite de sono sabendo que a inspiração e criatividade seriam melhores com um corpo recarregado.

A alimentação: enquanto coloca a comida no prato você está pensando nas ligações que tem que dar, no relatório a fazer, entre uma lista infindável de afazeres. Com isso, deixa de perceber quais tipos de alimento seu corpo está precisando e quanto. Tomado pela pressa, não mastiga direito, como também não degusta o sabor daquilo que come. Parece que não, mas o ato de comer alimenta diversas partes nossas. E a falta de atenção ao ato de alimentar-se sempre busca suas compensações.

Porque muitas pessoas que se sentem ansiosas comem? Prazer e recompensa imediatos. Necessidade inconsciente de preencher o vazio emocional interno. Eu fazia isso quando estava em depressão, comia que nem um animal até me entupir para sentir alguma coisa, mas só conseguia sentir mal estar, tristeza e decepção.

Num dia-a-dia sem graça, irritante e chato, uma bomba de chocolate adoça o paladar, a vida, além de liberar endorfina e uma breve sensação de "graça". E quanto mais nos desgostamos do que fazemos, mais bombas são necessárias para nos ajudar a passar pelas 24 horas de sacrilégio por uma vida "digna". O nome disso? Compensação.

O desempenho sexual: é comum pessoas ansiosas estarem mais focadas no gozo, do que na transa em si. É busca do alívio e da recompensa, fomentando relações sem entrega ou profundidade.

As relações: relação dá trabalho, é comunicação e atenção. O ansioso normalmente não tem tanta disponibilidade e tempo para se dedicar a compreender o que acontece com seu parceiro, ou quem sabe, vive para corresponder as expectativas do parceiro, o que também não é relacionar-se.

Enquanto não escolhermos o prazer de uma rotina feliz sob todas as formas: no trabalho, nos relacionamentos ou até mesmo na rotina das pequenas coisas, estaremos sempre ansiando por momentos, coisas e pessoas que não temos, mas que acreditamos nos tornarem mais felizes.

Por exemplo, em determinado momento escolhi que escrever seria um prazer a ser degustado no ato da composição de cada post e nunca mediante a aprovação de quem lesse. É bom ter e respeitar meus pensamentos, além de me reservar o direito e o prazer de os expor sem filtros. Críticas e comentários que antes me deixavam ansiosa, hoje vejo como bons feedbacks e expansões daquilo que penso.

Aprendi a duras penas, que a qualidade dos meus esforços não podem estar relacionadas aos resultados futuros, e com isso passei a criar deliberadamente momentos de grande prazer quando estou escrevendo, manipulando ou atendendo. Ainda assim, de vez em quase (sempre, rs) acabo colocando expectativas, para logo em seguida me sentir ansiosa. Mas, também descobri que não gosto da sensação de ansiedade, então, sento, me encontro com meus pensamentos e vou com calma e paciência re-aprendendo a sair do "lá" e voltar para cá. 

E é assim, estar aqui e agora é um eterno aprendizado de - 500% de ansiedade que vale a pena cultivar.

Como Equilibrar?
Você precisa urgentemente sair do futuro e se ancorar no presente. Existem várias técnicas para isso, porém, é preciso a prática constante delas, afim de criar raízes no aqui agora.

Ritual do Agradecimento
Parece bobo, sem sentido, mas, você precisa trazer sua atenção para hoje, o agora, e perceber que nesse exato momento a vida já te oferece coisas maravilhosas, dessa forma, a ansiedade em obter prazer, felicidade e recompensa no futuro diminuem absurdamente.

Qualquer lugar é lugar para praticar, em casa, no engarrafamento, na fila de banco, no banheiro ou simplesmente toda vez que se sentir ansioso e agitado por alguma situação.

Agradeça, agradeça por absolutamente tudo, pelo ar que respira, por pensar, por poder agradecer, busque pequenas coisas diárias pelas quais possa se sentir grato(a).

Esse ritual quando feito com total entrega, pode nos levar à um profundo estado de "graça". Já o experimentei algumas vezes e não existem palavras que possam contar como é nos sentirmos profundamente gratos pela vida, independente do momento que esteja vivendo.

Apreciação
Não importa quão grande ou complicado seja o problema que esteja vivendo, a vida é bela nesse exato momento e te proporciona belezas incríveis.

Pare, procure o céu, flores ou qualquer coisa simples pela qual possa apreciá-la, que te desperte um olhar de beleza, busque tudo à sua volta. Esse é um baita exercício de percepção e a prática constante dele irá te proporcionar mais leveza na vida, pois automaticamente seu olhar está focado nas resoluções simples e leves. Mas, essa mudança pede prática! Pratique muito, até ficar fluído ao ponto de fazer naturalmente em qualquer situação.

Também é um excelente exercício para a falta de criatividade ou quando não consegue encontrar soluções aparentes.

Sinergia Pessoal e Creme Equilíbrio
Fiz uma mistura para acalmar o estresse causado pela ansiedade aliada a respiração profunda, te traz para o aqui agora. Tenho resultados obtido resultados maravilhosos com ela.  Confira aqui na loja virtual.

O Creme Equilíbrio é um calmante natural, feito com óleos essenciais para processos de tensão emocional, ideal para quem sofre de crises de ansiedade. Confira aqui. Toda Linha Equilíbrio foi feita para acalamar, veja qual produto se encaixa no seu perfil, clicando aqui.

EFT e Terapia
Você pode abusar do EFT para desconstruir suas ansiedades e medos, é maravilhoso! Em contrapartida, um terapeuta qualificado também pode te ajudar a colocar suas expectativas pessoais num patamar que te traga tranquilidade. Terapia é uma questão de amor próprio.

Massagens
Ao nos sentirmos tocados e cuidados, fechamos várias portas emocionais e nos proporcionamos mais tranquilidade. A massagem acalma o sistema nervoso, nos proporciona uma pausa e tira nosso foco do estresse mental. Escolha uma que combine com você e faça periodicamente como tratamento ou de forma preventiva.

Você irá notar que a prática da massagem irá te ajudar a descarregar o peso das preocupações da semana, além de proporcionar uma baita consciência corporal, que servirá de filtro no dia-a-dia, para que você perceba as situações que lhe causam mais estresse.

A ansiedade é totalmente tratável, só é problemática, quando o ansioso, devido a um profundo processo de recompensa imediata (quer tudo rápido), não tem paciência de esperar pelos resultados de cada um desses processos.

Fique à vontade para tirar suas dúvidas.
Abraço!

Monik Ornellas



Reiki, bom para tudo!

Olá meus amigos,
Voces já ouviram falar de Reiki?

Antes que lessem sobre o que é reiki como técnica, gostaria que vissem estes dois vídeos. Neles, vamos viajar pelo universo da terapia milenar que é o Reiki

Neste o “Rei “ Roberto Carlos, que é reikiano nível três, numa frase, no final, descreve muito bem o que realmente é reiki:



Este outro, fala dos princípios básicos do Reiki, e explica de maneira simples e bela, o que é e como funciona o Reiki.:


Reiki e o Re-equilíbrio:

O REIKI atua em todos os tipos de necessidades tais como: estresse, vícios, fobias, depressão,desequilíbrios emocionais, mentais e energéticos, doenças agudas, crônicas e estados terminais. Alivia rapidamente dores físicas. Pode ser aplicado em bebês, crianças, adultos, idosos, mulheres grávidas e qualquer pessoa de modo geral. Pode ser usado também em animais e plantas.

É acima de tudo holístico em seus resultados, ou seja, atua na totalidade do ser. REIKI é uma técnica reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como medicina complementar, podendo ser combinada com qualquer outro tipo de tratamento tanto alopata quanto alternativo. Qualquer pessoaindependente de crença, idade, sexo, estado de saúde (física, emocional ou psíquica) pode se tornar um canal de Reiki.

Estou a disposição de voces para qualquer dúvida sobre o Reiki. Até mais!

Giselle Dantas, Reiki Master

Reflexologia, como funciona e Benefícios.

É interessante que sempre escrevo sobre tudo aqui, mas nunca fiz um post falando sobre a Reflexologia. Com tantos cursos, atendimentos e escalda pés parece óbvio, né? rs


O equilíbrio do corpo pelos pés e mãos.

Pois então, essa moça - a dona Reflexologia - é uma terapia muito interessante e bastante confundida com uma "massagem nos pés".


Trabalhei vários anos em SPA´s e é muito comum eles venderem "Reflexologia" em seu cardápio, porém, normalmente o produto que você compra é: massagem nos pés.

Mas qual a diferença?
Reflexologia Chinesa é à seco.
A Reflexologia é uma terapia bem completa e complexa em si mesma. A linhagem na qual trabalho - Chinesa - é bastante pontual, além de não utilizarmos óleo ou creme durante todo processo de soltura (dos músculos, tendões e articulações), diagnóstico ou tratamento (à seco). Só iremos "besuntar" o cliente após termos feito todo o tratamento reflexológico, logo, o creminho é só um bônus da Reflexologia na qual atuo. 

RESULTADO: Ao comprar uma sessão de "Reflexologia" e receber somente a massagem, você restá recebendo somente 25% do que uma sessão completa pode lhe proporcionar.

Mas, ATENÇÃO, existem diversos tipos de reflexologia, como a Terapia de Zonas (Zonoterapia), Reflexologia Francesa e outras tantas, pois ao longo dos anos ela foi difundida, aperfeiçoada e dinamizada por diversas culturas, sendo assim, algumas metodologias como a Tailandesa utilizam óleos ou cremes durante todo o processo, bem como, alguns acessórios (bastões e sticks).

Porquê e como a Reflexologia funciona?
Não só os alunos como os clientes normalmente ficam espantados com os resultados - muitas vezes imediatos - da Reflexologia... Mas como? Porquê? - são perguntas bem comuns.

Vou tentar dar uma breve explicação do processo: todo nosso sistema de vitalidade é mantido pelo abastecimento energético do nosso corpo. Tenho certeza que você já ouviu falar nos meridianos ou pontos de acupuntura. Nosso corpo é feito de milhares de desses "rios de energia", que percorrem todos os órgãos e sistemas fazendo com que cada pedaço do nosso corpo seja abastecido de energia vital.


Existem milhares de meridianos, porém, a acupuntura e o shiatsu trabalham com os principais.

Esse sistema energético é dinâmico e precisa estar em movimento contínuo, ascendendo e descendendo energia. Quando eventualmente um desses pontos, ou vários desses pontos bloqueiam, todo o sistema fica indiretamente bloqueado (com excessos e faltas energéticas). Esses bloqueios vão se materializando em dores locais e o processo contínuo disso se sedimenta em doenças.

Os pontos de Reflexologia não são os pontos de acupuntura. Milhares desses canais de energia passam pelos pés, logo, os pontos de reflexos são nós de congruência energética que quando pressionados causam impressão na rede energética do corpo, principalmente no reflexo direto do órgão ou sistema. Os pontos reflexos são como botões que quando apertados startam - iniciam - a movimentação das energias bloqueadas.


O microcosmo () refletindo o macrocosmo (corpo).

Por esse motivo, fazemos diagnósticos com facilidade, da mesma fora que conseguimos medir o grau dos desequilíbrios no corpo.

A Reflexologia cura Desequilíbrios?
Nenhum tipo terapia ou pessoa cura ninguém. Ponto. Porém, podemos utilizar uma terapia como ferramenta para nos auxiliar no re-equilíbrio do nosso corpo, se assim desejarmos. É preciso, em conjunto, reconfigurar seus hábitos, rever comportamentos, mudar de sapatos e etc, além de fazer seu tratamento reflexológico, sem abrir mão do seu médico ou seus remédios, pois um tratamento não inviabiliza o outro, muito pelo contrário, eles se complementam, pois trabalham em vertentes e visões diferenciadas.

Há contra indicações para a Reflexologia?
Sim.Todas as contra indicações são locais, ou melhor, para problemas nos pés, mãos ou pernas. 

Como trabalhamos com pressão local, pessoas com processos de osteoporose NOS PÉS ou MÃOS, são contra indicadas. Processos dolorosos como artrose, artrite nos pés também não são aconselháveis. Fora isso, feridas, machucados, torções, pediculites ou qualquer problema que invibiabilize ficar sentando ou deitado por no mínimo 40 minutos, são desaconselháveis.

Gestantes, crianças e adolescentes, pode?
Um bom reflexologista sabe tratar tanto uma gestante, evitando seus pontos hormonais, quanto uma criança ou adolescente.

Resultados:
Ao longo das minhas experiências com reflexologia tenho percebido excelentes resultados:
- na melhora do metabolismo (sistema imunológico, digestão, circulação sanguínea, pele);
- prisão de ventre;
- dores de estômago;
- dores de coluna;
- dores nos pés (que normalmente são advindas da coluna);
- re-equilíbrio hormonal;
entre tantos outros feedbacks positivos de pessoas de todas idades que já passaram pelos nossos atendimentos.

É um terapia muito simples, segura ao mesmo tempo que relaxante. Pode ser praticada por qualquer pessoa e acredito que esse seja o melhor dela, pois temos à nossa disposição a possibilidade de nos auto equilibrarmos, bem como auxiliar amigos e familiares em seus processos.


Se você tem interesse em fazer o curso
acesse a página e veja a data de novas turmas.

Se seu interesse é se tratar com a Reflexologia, 

E curta a página de reflexologia no Facebook 
para receber dicas e novidades, clicando aqui.

Forte abraço!

- Copyright © Monik Ornellas - Skyblue - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -