Posted by : Monik Ornellas

Você e Eu vivemos em falta. Não em falta com alguém, mas dentro da ilusão diária de que há sempre algo nos faltando. Nos falta dinheiro, amor, segurança, carinho, liberdade, expressão e uma infinidade de auto-limitações que criamos minuto a minuto.




O mundo no qual vivemos existe pela “Ilusão da Falta”. A pobreza, a tristeza, a raiva e violência existem pela Ilusão da Falta.
Por duas ínfimas vezes entrei em profunda conexão com... não há palavras para nomear diversas sensações misturadas com percepções de pertencimento, preenchimento, contentamento e/ou plenitude... qualquer uma dessas palavras sejam juntas ou separadas, não podem definir o que é essa conexão que nos coloca exatamente onde TODOS deveríamos estar. Hoje sei que todas as vezes que fecho meus olhos para respirar, estou em busca de voltar para esse local dentro de mim onde tudo se encontra, onde tudo já existe.


A pior das ilusões que existe é a da Separação da Fonte e dela nasceu a Ilusão da Falta. Essa sensação de estarmos apartados do mundo e das pessoas, cria em nós, diversos sentimentos que vão nos distanciando ainda mais do pertencimento e da conexão com a fonte. Que fonte? A fonte criadora e mantenedora do universo. Temos a ilusão de que ela está láaa fora ou láaa em cima, mas, está o tempo todo aqui dentro de cada molécula de nosso ser. Achamos que essa fonte cria e fica do lado de fora observando sua criação, quando na verdade, ela É e está inserida naquilo que cria.




Todos dias acordamos para trabalhar. Trabalhar significa colocar seus dons e talentos a seu serviço ou a serviço de outros para que no final do mês, da semana ou do dia você receba dinheiro. Na verdade, você acorda todos os dias pensando em dinheiro, se você pensa em “ganhar” é por que “acredita” que não têm, se você acredita que não têm e todos os dias precisa trabalhar para tê-lo, vive IMERSO na SENSAÇÃO de que lhe falta dinheiro.


Essa “crença” de que poucos têm muito e muitos têm pouco, alimenta todo sistema dramático da nossa realidade. Sistemas econômicos, sistemas sociais e todos os nossos sistemas emocionais (na verdade, esse último sistema – emocional - alimenta e cria os primeiros).


O Universo é essencialmente abundante. Sendo irônica, da forma que nós negamos nossa abundância por acreditar que ela nos falta, talvez por isso, exista muuuuuita abundância pairando em nosso universo, exatamente por que não reivindicamos nosso quinhão dessa herança natural.


Por exemplo, você NÃO consegue sentir que EXISTE AMOR DENTRO DE VOCÊ o suficiente para preenchê-lo, por isso, vive em busca de um parceiro que lhe ame, lhe “complete” e assim você pode ter o RECONHECIMENTO ou o espelhamento desse sentimento que já existe aí dentro, mas desconhece. Então, por achar que você NÃO o têm, vive na busca infindável de parceiros e amores acabando por  transformar essa busca em histórias infinitas de romances Shakespearianos misturados a processos de puro desamor, o que faz com que se distancie ainda mais da verdade que existe dentro de você. É a Ilusão da Falta (de Amor), misturada a nossa necessidade de drama. Nossa realidade 3D é um mundo viciado em drama.


Vivemos o drama da pobreza, da solidão, da tristeza, da inveja - quando temos a ilusão de que não somos capazes de -, da violência - que é sustentada também pela ilusão de que o outro têm e eu não posso ter -, tudo por nascermos e crescermos dentro da permanente ilusão de que somos e estamos separados uns dos outros e da fonte criadora, refletindo essa sensação de abandono primordial na Ilusão de que nos falta tudo.


Desde milênios fomos moldados a acreditar que nascemos sem nada, essa informação está muito bem sedimentada em nosso DNA devido as inúmeras encarnações que temos, onde não só acreditamos, como passamos por diversas experiências de “falta” e ausência de coisas. Então, vivemos de vida em vida (de forma não-linear), confirmando a experiência da falta e em prol dessa falta, todo um universo físico, emocional e mental é criado para fazer com que essa “verdade” subsista, caso contrário, é como se parte da nossa própria identidade se quebrasse.


Todo esse processo de trabalhar, ganhar dinheiro, comprar, vender e obter coisas tomou um vulto, que hoje estamos totalmente submersos dentro desse sistema e não nos permitimos mais sentir com profundidade as sensações que cada coisa nos proporciona.


É um sistema criado para que você seja um “burro de carga” e não um ser criador. Para você ser um ser criador é preciso que entre em contato com suas necessidades, na verdade com a ilusão delas, para que possa supri-las e assim, não mais jogar na realidade a vibração de suas faltas, mas, estar inteiro e nutrido dentro dela – da realidade – irradiando o que te pertence e trazendo para si, mais pertencimento e plenitude.


Ter esse conceito de forma clara, já é um grande passo. O próximo é começar a trabalhar na desconstrução dessa ilusão, é começar a buscar a sensação por trás das “necessidades” e isso fica para um próximo artigo, ok?


Nada nos falta, a não ser a clareza da PERCEPÇÃO que estás totalmente atolado dentro dessa ilusão.


Abraços!



{ 2 comentários... read them below or Comment }

  1. Nada nos falta, a não ser a clareza da PERCEPÇÃO que estás totalmente atolada dentro das nossas ilusões.

    ResponderExcluir

Deixe suas dúvidas ou mande um e-mail.

- Copyright © Monik Ornellas - Skyblue - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -